Minha experiência como presidente do IE Brazil Club

O último ano foi muito especial para mim, porque fiz meu MBA internacional, um sonho que eu tinha desde a faculdade. Sempre comento que uma das coisas que mais gostei do MBA foi a oportunidade de participar dos clubes extra-classe. Estes clubes são formados pelos alunos e contam com suporte e divulgação da faculdade, através do Campus Life. Eu era um membro de vários como FMCG, Public Speaking, E-commerce e HealthCare, mas foi no IE Brazil Club que eu mais participei.

Eu sou apaixonado pelo meu país, acredito no seu potencial e queria mostrar isso para meus novos colegas de MBA. Então, assim que cheguei ao IE, falei com os coordenadores do Brasil Club e me coloquei a disposição de ajudá-los. Comecei como membro, ganhei mais responsabilidades e acabei sendo um dos principais organizadores da primeira festa brasileira do ano, ainda no primeiro semestre de 2016. Os coordenadores, vendo minha dedicação ao clube, me chamaram para conversar sobre a possibilidade de ser um coordenador e talvez até presidente do clube. Abracei a ideia e comecei a procurar amigos que quisessem me acompanhar nessa jornada, sabia que só seria impossível fazer tudo que queríamos se eu tivesse uma equipe muito forte de coordenadores para me apoiar e em maio de 2016 fui eleito presidente do IE Brazil Club.

O IE Brazil Club tem como objetivo promover a cultura brasileira na IE e também incentivar a interação entre os membros brasileiros. Portanto, ser presidente do clube não era apenas uma honra para representar o meu país, mas também uma incrível oportunidade de aprender além da sala de aula, praticar liderança e trabalho em equipe, organizar eventos, fazer networking e promover o nosso país. Durante o período em que fui presidente, fizemos o evento de boas-vindas para novos estudantes brasileiros e a segunda festa brasileiro do ano, desta vez com dançarinos “samba” e mais de 400 convidados. Também fizemos um tradicional churrasco brasileiro e vários eventos sociais para os membros. Em parceria com a Área 31, apoiamos o lançamento do livro do professor brasileiro Dr. Newton Campos, participamos do mágico Global Village e organizamos o maior evento do clube no ano, uma palestra de a jornalista, Eliane Cantanhêde, para falar sobre a situação política no Brasil.

Agora, depois dessa experiência incrível só me resta alegria e satisfação por ter sido coordenador e a gratidão pelo apoio que recebi de todos os membros, especialmente os parceiros que eu tive como coordenadores comigo Daniel, Gabriela, Carol, Bruno e Alexandre.

Guilherme Amorim Ubiali

IMG-20160609-WA0024

Anúncios

10 maneiras como um MBA internacional pode mudar sua vida

Colaborador aqui do Diário de um MBA, Guilherme Ubiali escreveu um ótimo artigo contando sobre sua experiência e aprendizados no MBA da IE Business School para o jornal Estadão, no blog MBA de A a Z.

Texto recomendadíssimo para quem está pensando em fazer um MBA.

 


10 maneiras como um MBA internacional pode mudar sua vida

Quando comecei meu MBA na IE Business School, uma das escolas de negócio mais respeitadas no mundo e conhecida por sua abordagem empreendedora e inovadora, nosso reitor Erik Schlie disse algo que me marcou, “Aproveite esse ano para ser tudo que sempre quis, mas nunca teve coragem”. Aqui – sem antes agradecer à Paula pelo espaço e trabalho em pró da educação executiva – conto como será o seu MBA internacional, se você também acreditar nesta frase.

“Aproveite esse ano para ser tudo que sempre quis, mas nunca teve coragem”

Você viverá um caldeirão de culturas e seus melhores amigos serão do mundo todo

Mais de cem nacionalidades estudando juntas faz toda diferença. Aprendi que coisas normais para nós, como ter um passaporte, direito de ir e vir e se expressar, não é realidade para todos. Descobri que nossa rixa com os hermanos argentinos não passa de brincadeira comparada com outros países e que cultura muda o jeito da pessoa ver o mundo. Fiz amigos de países que antes não sabia apontar no mapa. Vi danças, roupas e sotaques típicos. Experimentei comidas e bebidas de dar água na boca.

No MBA você vai conhecer pessoas de partes do mundo que dificilmente visitaria ainda que fosse um executivo cosmopolita ou um inspirado viajante. Ao longo dessa jornada vai perceber que seus colegas do Cazaquistão, México….

Continue lendo o artigo aqui.

guilhermeubiali MBA

IE Global Village 2017

MBA fora da sala – Por que criei o FMCG Club?

Por Igor Souto Araujo

Grande parte dos alunos de MBA tem o mesmo objetivo, mudança de carreira. E comigo não foi diferente, antes mesmo de vir para a IE eu entrei em contatos com alumni de diversos intakes para ter maior entendimento do curso e poder aproveitar as oportunidades da melhor forma possível. A partir desses contatos recebi uma importante informação que é o seguinte:

  • Procure não fazer grandes mudanças de uma só vez. Ou seja, se pretender mudar de país e indústria, procure pelo menos manter uma área de atuação que você tenha conhecimento ou experiência prévia. E por aí vai, o quanto antes decidir a área e indústria que tem interesse, é melhor pois você está mais direcionado e tem maior foco.

Se você é um “soul searcher” (ainda em busca do que quer fazer): não tem problema, você vai ter contato com pessoas de diversas áreas e indústrias e vai poder fazer a sua escolha e, lembre se, nada é definitivo. Se precisar, ajuste o plano e mude novamente.

E foi assim que comecei a focar na indústria de bens de consumo. Como não tenho experiência diretamente na indústria, já tive atuação em áreas relacionadas, clientes etc, então tracei o plano de ação. Primeiramente, preciso ter maior participação na indústria e aumentar o meu networking, logo, procurei na IE Business School o clube FMCG (Fast Moving Consumer Goods), pois sabia que lá eu teria contato com pessoas da indústria e conseguiria mais informação se estava no caminho certo e o networking. Foi o primeiro clube que apliquei para fazer parte, me causou estranheza o fato de que não tinha retorno sobre atividades.

FMCG

As empresas de Bens de Consumo são responsáveis pelas principais marcas do mundo, é uma indústria que está em constante mudança e evolução.

Portanto, fui no escritório da escola para questionar o motivo e o que poderia ser feito pois muito me interessa esse tema. Com isso também acharam estranho pois o clube estava inativo, logo perguntei o que eu poderia fazer para reativar FMCG logoo clube. Elaborei uma proposta com a ideia do clube e consegui mais de 50 assinaturas de interessados (precisava de 25).

Isso foi em Janeiro, nos meus primeiros dias em Madrid, desde então estamos mantendo uma média de pelo menos um evento por mês, seja para happy hour para networking, reuniões, eleições para coordenadores, tour em empresas (como Amazon) etc. E vamos buscar melhorias, expandir e no final do ano conseguir certificado como um dos melhores clubes da IE. Dessa forma se torna um ciclo virtuoso e com resultados positivos para todos.

Amazon Tour - Abril[6707].jpeg

O que aprendi com isso?

Empreendedorismo, e não é sobre ser criativo e ter ideias, tanto que muitos empreendedores começaram negócios copiando e melhorando conceitos anteriores, empreendedorismo é sobre ter uma ideia, estabelecer um processo e executar um plano para que seja colocado em ação, e para isso precisamos de mobilização, engajamento e formar um time.

Se isso da trabalho? Sim, e principalmente no começo. Hoje, com time de coordenadores formados e clube formado, o objetivo é compartilhado e isso é muito importante. Isso é só o começo, mas já é muito gratificante e vamos desenvolver daqui pra frente.

Obrigado, forte abraço.
Igor Souto Araujo

CEO aos 30 – Parabéns João e René

O João, colaborador do nosso blog em 2016, terminou seu MBA em dezembro e já deu um importante passo na carreira. Junto com outro brasileiro MBA da IE, René Almeida, fundou a 220 Capital, uma empresa de Search Fund.

Search Fund é uma modalidade de investimento muito estabelecida nos EUA, mas que anda é novidade no Brasil. Nela os empreendedores buscam negócios com potencial de crescimento cujo dono está querendo se desfazer e oferecem para investidores, se os investidores gostarem, o Search Fund compra essa empresa e a gerencia por no mínimo 2 anos, para depois revender por um valor maior.

João e René foram destaque essa semana de uma reportagem na Folha de São Paulo, onde contam um pouco sobre essa mudança e explicam o que é Search Fund, confira no link Folha de São Paulo: Como ser CEO aos 30 anos

untitled

MBA na Europa também é viajar – País Basco

FCBB1F7B-526C-4D5D-ADA6-D5C981F90BC4

Esse mês tivemos um feriado em Madri, oportunidade perfeita para viajar. Eu e mais dois amigos, Melissa, uma americana, e Saai, um indiano, alugamos um carro e fomos conhecer o País Basco. Carro nos pareceu a melhor opção, não imaginam como é barato alugar carro aqui, sem falar, que é uma com o carro pudemos fazer nosso próprio roteiro e explorar algumas maravilhas escondidas. 

O país Basco é uma comunidade autônoma da Espanha, situada ao norte do país com população de 2,1 milhões de habitantes, sua capital e principal cidade é Bilbao. Apesar de pertencer à Espanha, trata-se de uma região muito interessante com geografia e flora bastante particulares e um povo orgulhoso de suas tradições. É uma região que conserva um idioma único na Europa, o Basco, com origem desconhecida, não veio do latim como as outras línguas ibéricas e ninguém sabe ao certo sua como ou quando começou. Um idioma curioso, presente em 100% das placas, cheio de K e X, totalmente indecifrável para leigos como eu.

A viagem começou logo cedo e depois de algumas horas paramos para conhecer Burgos com sua bela catedral, depois seguimos rumo a San Sebastián – Donostia, uma praia ao norte.  No dia seguinte conhecemos a bela igreja de San Juan de Gaztelugatxe, fomos à Bilbao e visitamos o Guggenheim. A volta foi por Navarra (outra região da Espanha), paramos em Pamplona (terra da corrida de touros) e aproveitamos para conhecer o castelo de Olite.

Uma viagem incrível, cheia de belezas escondidas e que foi particularmente especial pela companhia dos amigos.

Guilherme Ubiali

 

Um dia como cervejeiro na AB-Inbev

IMG_0335[4756]

Eu sempre comento que fazer um MBA internacional é aprender muito além sala de aula e recentemente fui à um evento que foi uma grande prova disso. Trata-se do “One day at the beer chain”, um evento organizado pela empresa Belga-brasileira AB-Inbev (controladora da cervejaria Ambev), para um grupo seleto de 30 alunos de MBAs e Mestrados de Madri para divulgar os Programas de emprego oferecidos pela empresa. Uma oportunidade única para conhecer o escritório da Ab-Inbev em Madri, aprender sobre o processo de fabricação da cerveja, controle de qualidade, logística, marketing e vendas.

O dia começou com a divertida atividade onde fabricamos nossa própria cerveja, depois fizemos um teste de qualidade para identificar cervejas abaixo do padrão de qualidade, aprendemos sobre processo de produção e logístico da cerveja e por fim tivemos uma experiência bem prática de como são as negociações entre a empresa e seus clientes, foi incrível! Um mix de teoria e prática, simulando o dia a dia da maior cervejaria do mundo.

Uma observação interessante que faço aqui é como são jovens os líderes da empresa, uma característica bem comum nas empresas do grupo 3G e tendência no mercado competitivo, dinâmico e moderno.

Também tivemos uma interessante apresentação do Diretor de Marketing da empresa sobre as estratégias e projetos de expansão no país, como conectar-se com o consumidor, estratégias de premiunização da marca, como atingir os milleniums e o novo foco da empresa em mídias digitais, temas recorrentes nas aulas de MBA da IE Business School.

Ao final, aprendemos como deve ser servido um bom chope e celebramos com um alegre brinde.

Cheers!

Guilherme Ubiali

Agradecimento especial Maria Neves, uma das organizadoras do evento e ex-aluna da IE do Erasmus Programme.

#onedayinbeerchain #ABIeventMadrid

 

Um típico dia de um aluno de MBA na Espanha

 

Guilherme Ubiali IE Business School

Guilherme Ubiali na IE University.

Como é cursar um MBA na Europa? Como é seu dia a dia em Madri? Essas são perguntas muito comuns que recebo como aluno do International MBA da IE Business School, por isso resolvi fazer esse artigo e contar como é um típico dia de um aluno de MBA na Espanha.

Uma anedota muito comum é dizer que nossa vida é dividida entre três coisas dais quais você tem que escolher duas: Estudar, fazer networking e dormir. Eu particularmente não concordo que você tenha que escolher apenas duas das três, mas com certeza administrar seu próprio tempo (ou a falta dele) é um dos maiores desafios do aluno de MBA.

A seguir, conto como é a minha rotina e como eu tenho feito para administrar o meu tempo.

8h00 – O despertador toca, é hora de levantar. O sol ainda está nascendo em Madri e o friozinho deixa tudo mais difícil.

9h00 – Iniciam-se as aulas. Os alunos chegam, alguns alegres e outros mais sonolentos, dependendo de como foi a noite anterior. Aula do dia, Corporate Finance e Managerial Decision Making. As aulas variam muito, não seguem uma linha constante. A cada três meses termina um “term” e trocam todos os temas e professores.

11h00 – Intervalo 40 minutos de comer alguma coisa. Perto da faculdade existem várias opções e com 10 euros consegue-se almoçar.

11h40 – De volta às aulas, a tarde de hoje foi reservada para Marketing Management e Strategy.

15h00 – Terminam as aulas, mas não o dia. Temos reunião do Club Brazil, o qual sou presidente, e em seguida uma reunião rápida do grupo de trabalho de sala.

16h00 – Palestra sobre BlockChain, uma tecnologia totalmente disruptiva que promete transformar diversas industrias como healthcare, bancos e telefonia.

17h00 – Company presentation. Hoje a vez foi da indústria Farmacêutica, ao final um coquetel de networking. Vinho e cerveja a vontade, mas como meu dia ainda está só na metade, eu fico no refrigerante.

18h30 – Enfim em casa e hora de trabalhar. Terminar a minha parte do trabalho e enviar para o grupo para revisão.

19h30 – Parada rápida para o jantar.

20h00 – De volta aos estudos, agora é a vez de preparar-me para a aula do dia seguinte. Leitura de um ou dois cases, acompanhados de mais três artigos, normalmente entre 60 e 90 páginas por dia.

23h30 – Enfim terminando a leitura e, como não sou de ferro, vou assistir um episódio da série que acompanho no Netflix.

00h30 – Pronto para dormir e descansar para um novo dia.

A rotina de um aluno do International MBA da IE é mais ou menos assim todos os dias. Alguns dias com mais company presentations, outros com mais leituras e outros mais livres nos quais é possível ir a feiras tecnológicas, fazer compras ou sair com os amigos.

Aos finais de semana a gente aproveita mais, é sempre possível caminhar pelo belo parque do Retiro, passear de bicicleta por Madrid ou viajar. Eu viajo a cada dois finais de semana, afinal, estamos na Europa!

Como viram, a rotina é intensa, começa cedo e termina tarde, mas o mais importante é que quando o dia termina você não se sente exausto, pelo contrário, está animado e ansioso para mais um dia!

Um abraço,

Guilherme Ubiali

¡Buenas (noches) tardes, Madrid!

São 9h10 da noite e é assim que os espanhóis se cumprimentam por aqui. Durante todo o verão o sol é praticamente inesgotável, o que, particularmente, tenho gostado bastante!

Esse pôr do sol tardio que vocês veem nas fotos nos permite ter uma vida bem diferente da que estamos acostumados no Brasil. Conseguimos aproveitar mais a cidade, passear ao ar livre… fora que deixa cidade muito bonita. Isto é, quando os estudos do International MBA permitem hahaha. Tirei as fotos saindo da IE, depois de ter acompanhado uma palestra sobre a indústria farmacêutica.

IMG-20160530-WA0017

Fato é que o sol das nove, da noite, já faz parte da minha rotina, assim como de todos os espanhóis.

Aqui o “buenas tardes” dura até esse horário porque o dia a dia deles também é bem diferente do nosso. Eles começam a trabalhar por volta das nove da manhã e seguem até às 13h para uma pausa – beeem prolongada – para o almoço.

São três, às vezes quatro horas de intervalo, e nesse meio termo fica difícil até de conseguir achar algum estabelecimento aberto, por maior que seja sua emergência. Eles levam a tal da siesta bem a sério!

Nesse tempo, além da soneca, alguns aproveitam o tempo para praticar algum esporte ou reunir a família e amigos para um tempo de descontração. Com as energias recarregadas, eles voltam ao batente por volta das quatro, cinco da tarde, e seguem até às 20h trabalhando.

Essa rotina faz de Madri, ao menos em sua região central, uma cidade bem movimentada até meia noite. A vida noturna (não falo das festas, hein!) é algo único, uma característica que a difere das demais cidades europeias.

Guilherme Ubiali