Minha experiência como presidente do IE Brazil Club

O último ano foi muito especial para mim, porque fiz meu MBA internacional, um sonho que eu tinha desde a faculdade. Sempre comento que uma das coisas que mais gostei do MBA foi a oportunidade de participar dos clubes extra-classe. Estes clubes são formados pelos alunos e contam com suporte e divulgação da faculdade, através do Campus Life. Eu era um membro de vários como FMCG, Public Speaking, E-commerce e HealthCare, mas foi no IE Brazil Club que eu mais participei.

Eu sou apaixonado pelo meu país, acredito no seu potencial e queria mostrar isso para meus novos colegas de MBA. Então, assim que cheguei ao IE, falei com os coordenadores do Brasil Club e me coloquei a disposição de ajudá-los. Comecei como membro, ganhei mais responsabilidades e acabei sendo um dos principais organizadores da primeira festa brasileira do ano, ainda no primeiro semestre de 2016. Os coordenadores, vendo minha dedicação ao clube, me chamaram para conversar sobre a possibilidade de ser um coordenador e talvez até presidente do clube. Abracei a ideia e comecei a procurar amigos que quisessem me acompanhar nessa jornada, sabia que só seria impossível fazer tudo que queríamos se eu tivesse uma equipe muito forte de coordenadores para me apoiar e em maio de 2016 fui eleito presidente do IE Brazil Club.

O IE Brazil Club tem como objetivo promover a cultura brasileira na IE e também incentivar a interação entre os membros brasileiros. Portanto, ser presidente do clube não era apenas uma honra para representar o meu país, mas também uma incrível oportunidade de aprender além da sala de aula, praticar liderança e trabalho em equipe, organizar eventos, fazer networking e promover o nosso país. Durante o período em que fui presidente, fizemos o evento de boas-vindas para novos estudantes brasileiros e a segunda festa brasileiro do ano, desta vez com dançarinos “samba” e mais de 400 convidados. Também fizemos um tradicional churrasco brasileiro e vários eventos sociais para os membros. Em parceria com a Área 31, apoiamos o lançamento do livro do professor brasileiro Dr. Newton Campos, participamos do mágico Global Village e organizamos o maior evento do clube no ano, uma palestra de a jornalista, Eliane Cantanhêde, para falar sobre a situação política no Brasil.

Agora, depois dessa experiência incrível só me resta alegria e satisfação por ter sido coordenador e a gratidão pelo apoio que recebi de todos os membros, especialmente os parceiros que eu tive como coordenadores comigo Daniel, Gabriela, Carol, Bruno e Alexandre.

Guilherme Amorim Ubiali

IMG-20160609-WA0024

Anúncios

Drones são a próxima grande revolução?

Recentemente estive em tivemos na IE Business School uma apresentação da empresa DJI Drones, a maior empresa de drones do mundo.  A apresentação foi feita por Tautvydas Juskauskas, gerente de desenvolvimento da empresa na Europa, que falou sobre a industria, de oportunidades e desafios e de mercados que já foram revolucionados pelos drones, sai de lá encantado.

drone_guilherme_ubiali.jpg

Apresentação de empresas faz parte do nosso dia a dia quando estamos no MBA da IE. É uma oportunidade única de conectar com novos mercados, fazer networking e aprender sobre desafios e oportunidades destas industrias. Acho que são especialmente interessantes para aquelas pessoas que ainda não têm certeza do que querem fazer pós-MBA, pois nestas apresentações as empresas falam sobre suas atividades, sua indústria e o tipo de profissional que buscam.

Conhecemos os drones devido a indústria de entretenimento com fotos e filmagens incríveis, Hollywood têm usado drones em praticamente todos os filmes, mas isso é uma parcela muito pequena do negócio de drones, o mercado mais importante para eles neste momento é a construção civil, o setor imobiliário e a agricultura, mercados que têm sido revolucionados pela entrada dos drones.

Os drones utilizam uma tecnologia de vídeo-imagem de ponta, sendo capazes de reconhecer (e seguir) uma pessoa, baseado apenas em uma foto. Também estão muito avançados em automação, podendo funcionar sem a necessidade de um controlador. Por exemplo, se você quiser fazer um mapa 3D de um prédio, basta programar no GPS do drone os cantos do prédio e ele faz o resto sozinho. Depois de tirar milhares de fotos os dados são colocados em um software especifico que os transforma em mapeamento 3D perfeito.

Se parece impressionante o que os drones já fazem, mais ainda é o que podem fazer num curto espaço de tempo; mapeamento de tráfego, monitoramento de cidades, análise geológica, segurança, meio ambiente, são infinitas as possibilidades e estão apenas começando. Por exemplo, em uma indústria de energia solar os painéis precisam ser verificados um por um diariamente, algo que pode facilmente ser feito por um drone pré-programado de forma automatizada, com velocidade maior e custo menor.

Mas a DJI quer ir além, parece ficção científica, mas estão com projetos para drones totalmente autônomos que funcionem 24 horas por dia com energia solar. Os drones seriam conectados a uma rede de dados na nuvem (cloud) e acessados por empresas sob demanda. Assim uma empresa poderia comprar dados pré-coletados pelo drone ou contratar um drone que esteja sobrevoando a região para levantar dados específicos.

São poucas as tecnologias capazes de coletar dados como os drones, depois de coletados estes dados podem ser jogados em uma cloud ou em um software de big data com um algoritmo que irá transformá-los em informação sobre os clientes, seus hábitos de consumo e oportunidades de inovação, revolucionando a forma como o marketing toma decisões. Eu que faço também um Mestrado em Comportamento do Consumidor sei o quanto informação é fundamental para o Marketing e o quanto as empresas investem nisso.

Porém, ainda existem algumas barreiras, a principal é a questão de regulamentação, cada país tem uma lei diferente, em alguns não tem lei nenhuma e em outros é proibido. Existe também uma barreira tecnológica, como a durabilidade da bateria e a necessidade de uma tecnologia de extrema precisão em todos as peças.

Depois da apresentação, Tautvydas fez uma demonstração surpreendente com os drones da DJI. Eu já tinha visto um drone voar, mas esta foi a primeira vez que vi em lugar fechado e cheio de gente. A estabilidade do drone é uma coisa inacreditável, ele não mexe um milímetro, respondendo de forma rigorosa e precisa ao controle do operador.

Vejo um futuro próximo com drones sobrevoando cidades de forma automatizada, captando dados que vão ajudar na criação de cidades mais sustentáveis, organizadas, eficientes e melhorares para se viver, além é claro, de facilitar muito a vida do Marketing, que precisa entender seus consumidores. Por isso tudo que digo que drones não são a próxima revolução, são uma revolução que já está acontecendo.

Guilherme Ubiali

MBA na Europa também é viajar – País Basco

FCBB1F7B-526C-4D5D-ADA6-D5C981F90BC4

Esse mês tivemos um feriado em Madri, oportunidade perfeita para viajar. Eu e mais dois amigos, Melissa, uma americana, e Saai, um indiano, alugamos um carro e fomos conhecer o País Basco. Carro nos pareceu a melhor opção, não imaginam como é barato alugar carro aqui, sem falar, que é uma com o carro pudemos fazer nosso próprio roteiro e explorar algumas maravilhas escondidas. 

O país Basco é uma comunidade autônoma da Espanha, situada ao norte do país com população de 2,1 milhões de habitantes, sua capital e principal cidade é Bilbao. Apesar de pertencer à Espanha, trata-se de uma região muito interessante com geografia e flora bastante particulares e um povo orgulhoso de suas tradições. É uma região que conserva um idioma único na Europa, o Basco, com origem desconhecida, não veio do latim como as outras línguas ibéricas e ninguém sabe ao certo sua como ou quando começou. Um idioma curioso, presente em 100% das placas, cheio de K e X, totalmente indecifrável para leigos como eu.

A viagem começou logo cedo e depois de algumas horas paramos para conhecer Burgos com sua bela catedral, depois seguimos rumo a San Sebastián – Donostia, uma praia ao norte.  No dia seguinte conhecemos a bela igreja de San Juan de Gaztelugatxe, fomos à Bilbao e visitamos o Guggenheim. A volta foi por Navarra (outra região da Espanha), paramos em Pamplona (terra da corrida de touros) e aproveitamos para conhecer o castelo de Olite.

Uma viagem incrível, cheia de belezas escondidas e que foi particularmente especial pela companhia dos amigos.

Guilherme Ubiali

 

Um dia como cervejeiro na AB-Inbev

IMG_0335[4756]

Eu sempre comento que fazer um MBA internacional é aprender muito além sala de aula e recentemente fui à um evento que foi uma grande prova disso. Trata-se do “One day at the beer chain”, um evento organizado pela empresa Belga-brasileira AB-Inbev (controladora da cervejaria Ambev), para um grupo seleto de 30 alunos de MBAs e Mestrados de Madri para divulgar os Programas de emprego oferecidos pela empresa. Uma oportunidade única para conhecer o escritório da Ab-Inbev em Madri, aprender sobre o processo de fabricação da cerveja, controle de qualidade, logística, marketing e vendas.

O dia começou com a divertida atividade onde fabricamos nossa própria cerveja, depois fizemos um teste de qualidade para identificar cervejas abaixo do padrão de qualidade, aprendemos sobre processo de produção e logístico da cerveja e por fim tivemos uma experiência bem prática de como são as negociações entre a empresa e seus clientes, foi incrível! Um mix de teoria e prática, simulando o dia a dia da maior cervejaria do mundo.

Uma observação interessante que faço aqui é como são jovens os líderes da empresa, uma característica bem comum nas empresas do grupo 3G e tendência no mercado competitivo, dinâmico e moderno.

Também tivemos uma interessante apresentação do Diretor de Marketing da empresa sobre as estratégias e projetos de expansão no país, como conectar-se com o consumidor, estratégias de premiunização da marca, como atingir os milleniums e o novo foco da empresa em mídias digitais, temas recorrentes nas aulas de MBA da IE Business School.

Ao final, aprendemos como deve ser servido um bom chope e celebramos com um alegre brinde.

Cheers!

Guilherme Ubiali

Agradecimento especial Maria Neves, uma das organizadoras do evento e ex-aluna da IE do Erasmus Programme.

#onedayinbeerchain #ABIeventMadrid

 

Um típico dia de um aluno de MBA na Espanha

 

Guilherme Ubiali IE Business School

Guilherme Ubiali na IE University.

Como é cursar um MBA na Europa? Como é seu dia a dia em Madri? Essas são perguntas muito comuns que recebo como aluno do International MBA da IE Business School, por isso resolvi fazer esse artigo e contar como é um típico dia de um aluno de MBA na Espanha.

Uma anedota muito comum é dizer que nossa vida é dividida entre três coisas dais quais você tem que escolher duas: Estudar, fazer networking e dormir. Eu particularmente não concordo que você tenha que escolher apenas duas das três, mas com certeza administrar seu próprio tempo (ou a falta dele) é um dos maiores desafios do aluno de MBA.

A seguir, conto como é a minha rotina e como eu tenho feito para administrar o meu tempo.

8h00 – O despertador toca, é hora de levantar. O sol ainda está nascendo em Madri e o friozinho deixa tudo mais difícil.

9h00 – Iniciam-se as aulas. Os alunos chegam, alguns alegres e outros mais sonolentos, dependendo de como foi a noite anterior. Aula do dia, Corporate Finance e Managerial Decision Making. As aulas variam muito, não seguem uma linha constante. A cada três meses termina um “term” e trocam todos os temas e professores.

11h00 – Intervalo 40 minutos de comer alguma coisa. Perto da faculdade existem várias opções e com 10 euros consegue-se almoçar.

11h40 – De volta às aulas, a tarde de hoje foi reservada para Marketing Management e Strategy.

15h00 – Terminam as aulas, mas não o dia. Temos reunião do Club Brazil, o qual sou presidente, e em seguida uma reunião rápida do grupo de trabalho de sala.

16h00 – Palestra sobre BlockChain, uma tecnologia totalmente disruptiva que promete transformar diversas industrias como healthcare, bancos e telefonia.

17h00 – Company presentation. Hoje a vez foi da indústria Farmacêutica, ao final um coquetel de networking. Vinho e cerveja a vontade, mas como meu dia ainda está só na metade, eu fico no refrigerante.

18h30 – Enfim em casa e hora de trabalhar. Terminar a minha parte do trabalho e enviar para o grupo para revisão.

19h30 – Parada rápida para o jantar.

20h00 – De volta aos estudos, agora é a vez de preparar-me para a aula do dia seguinte. Leitura de um ou dois cases, acompanhados de mais três artigos, normalmente entre 60 e 90 páginas por dia.

23h30 – Enfim terminando a leitura e, como não sou de ferro, vou assistir um episódio da série que acompanho no Netflix.

00h30 – Pronto para dormir e descansar para um novo dia.

A rotina de um aluno do International MBA da IE é mais ou menos assim todos os dias. Alguns dias com mais company presentations, outros com mais leituras e outros mais livres nos quais é possível ir a feiras tecnológicas, fazer compras ou sair com os amigos.

Aos finais de semana a gente aproveita mais, é sempre possível caminhar pelo belo parque do Retiro, passear de bicicleta por Madrid ou viajar. Eu viajo a cada dois finais de semana, afinal, estamos na Europa!

Como viram, a rotina é intensa, começa cedo e termina tarde, mas o mais importante é que quando o dia termina você não se sente exausto, pelo contrário, está animado e ansioso para mais um dia!

Um abraço,

Guilherme Ubiali